26 setembro 2009

Dirty Projectors - Bitte Orca - Stillness Is The Move

O ar esgroviado de Dave Longstreth é sintomático de um artista arrojado. Apesar de ser bastante difícil de gostar nas primeiras vezes que se ouve, a verdade é que a música dos Dirty Projectors torna-se bastante viciante após algumas audições (ao vivo a estranhesa desaparece por completo e a voz e a guitarra dele são perfeitamente melódicas).
Stillness is the move é uma canção na qual Dave aparece discretamente em segundo plano, talvez permitindo que a absoluta beleza desta canção convença alguns melómanos a tentarem ouvir as restantes músicas do magnífico álbum Bitte Orca. À primeira audição rejeitá-las-ão certamente.





Isn't life under the sun just a crazy crazy crazy dream?

17 junho 2007

Fracture - Ruptura










Duas personagens muito interessantes interpretadas por dois excelentes actores. Pode não ser suficiente para fazer um bom filme, mas neste caso até é. O tom moralista do final não estraga o bom entretenimento proporcionado por estes dois homens nas suas confrontações, tentando desesperadamente mostrar que são melhores do que toda a gente.

27 maio 2007

Zodiac


Uma história com tantos actores secundários (não são figurantes, são mesmo actores secundários) e com tantas incongruências, pistas que não levam a lado nenhum e certezas que depressa são postas em causa, apesar de não serem totalmente desmentidas, tem qualquer coisa de credível.
Facilmente se fica obcecado em desvendá-la. Tal como as personagens principais, também fiquei com vontade de aprofundar todas estas dúvidas... Por quantas mortes foi o Zodiac responsável? Qual é a ligação entre Leigh e o projeccionista? Qual a explicação para o estranho comportamento do agente da polícia que chega local do crime na primeira cena do filme? E aquela impressão digital no táxi? E...

19 maio 2007

Like a Rocket feat. Capitol A - Kunuaka - Makossa & Megablast

Felizmente há muita música que me faz dançar, mas há qualquer coisa de excepcional em Like a Rocket dos Makossa & Megablast. Aquela linha de baixo é tão quente que arrepia... Misturar o balanço do hip hop à electrónica de dança é sempre uma excelente ideia. E neste caso o resultado é excelente. Aliás, os Makossa & Megablast são óptimos a misturar diferentes influências. Basta ouvir Kunuaka (que é também o título do álbum) ou Mangia Amore para comprovar!

Go to Beatport.comGet These TracksAdd This Player

INLAND EMPIRE

Jogos entre presente e passado, realidade e ficção. Palavras e imagens que ecoam durante todo o filme (AXXºnN, What time is it?, język polski, o marido ciumento,...). As mansões e os becos escuros de Hollywood. O Cinema: o processo de criação, as filmagens, a esquizofrenia dos actores. Uma banda sonora que inclui "The Loco-Motion" cantada por Little Eva, mas também, "Black Tambourine" do Beck, entre outras músicas e ambientes sonoros totalmente díspares.

INLAND EMPIRE deve, realmente, ser uma experiência cinematográfica excelente, para quem o conseguir entender.

12 maio 2007

Spider-Man 3 - Homem-Aranha 3

No primeiro havia um adolescente inadaptado e tinha como cena clímax um beijo (o que é mais importante para o adolescente inadaptado?)


No segundo falava-se de máscaras e a extraordinária cena do comboio acabava com a revelação.


No terceiro há, entre muitas outras coisas (demasiadas, até!), a contemplação do casamento, que é um fraco tema... aliás, nem sequer deu origem a uma cena emblemática (só se for o tal "I´m not ready yet" que acaba por ser um final feliz).


05 maio 2007

Hang Me Up To Dry - Robbers & Cowards - Cold War Kids



A guitarra agarra-nos imediatamente! Depois entra um vocalista muito interessante e um piano que talvez pertencesse mais a uma banda de jazz mas que funciona muito bem no som dos Cold War Kids... Resultado: uma canção viciante para ouvir em loop durante várias semanas!

01 maio 2007

Sunshine - Missão Solar

Tudo o que corre mal nesta missão solar é causado por uma crença demente de que, se é assim que Deus quer, então não deveremos contrariar essa vontade. A religião a travar o progresso... É impressionante como ainda se aplica hoje em dia...

dot.com

O filme começa com algumas cenas da vida de uma aldeia que me fizeram lembrar a minha própria vida na minha aldeia (apesar de ser mais parecido com o que me lembro da minha infância, do que com aquilo que se passa hoje). E a minha aldeia é muito bonita, mas a Vila de Dornes (onde o filme foi filmado) é magnífica! Alguns planos do filme dariam excelentes anúncios "Vá para fora cá dentro".

Pena o filme não ser lá muito bom... Para além de ser um Portugal ligeiramente ao lado (tipo anos 80 mas com internet e com uma linha de comboio Badajoz-Tomar), nunca se percebe muito bem quem é que quer o quê (num filme sobre a vontade do povo - ou não? - seria importante perceber os motivos, ou não?).

18 abril 2007

Spaceape feat. Spaceape - Burial - Burial

"The sensation you feel is entirely real..."
Música de sensações: uma batida muito forte, um ritmo ligeiramente torto, sons vindos de... não sei de onde, uma voz (Jamaica dark, very dark) que nos diz: "We are hostile aliens imune from dying".



Todo o álbum é fantástico, nunca parece perfeito mas não consigo de deixar de ouvir mais uma vez.

01 abril 2007

Das Leben der Anderen - As Vidas dos Outros

É interessante ver como embrenharmo-nos nas vidas dos outros pode alterar a nossa visão do mundo e até fazer-nos sentir coisas que normalmente não sentimos e por isso tornar a nossa própria vida mais interessante do que é.


É claro que ler livros, ver filmes ou ir ao teatro são formas bastante mais saudáveis de nos embrenharmos nas vidas dos outros do que fazer vigilância e ouvir as conversas dos outros...
.
.


24 março 2007

Burning - Dreams - The Whitest Boy Alive

Toda a beleza e sensibilidade dos Kings of Convenience (o vocalista dos The Whitest Boy Alive pertence também aos Kings of Convenience) mas agora com um ritmo um bocadinho mais acelerado e com um bocadinho mais de electricidade. Burning é totalmente viciante. Apetece saltar e abanar a cabeça como nos concertos dos Metallica. E ao mesmo tempo é tão bela que nos comove! Não acreditam? Ouçam!

The Good German - O Bom Alemão


Para além do excelente exercício de estilo (são fabulosas as inserções de imagens reais de Berlin de 1945), Soderbergh levanta uma questão muito pertinente: é possível alguém ficar totalmente inocente em ambiente de guerra?

Imediatamente após o fim da 2.ª Guerra Mundial, em Berlim, entre escombros, ninguém parece saber quem é. Ou melhor, quem pode ser: de repente os berlinenses deixaram de ser nazis e procuram esquecer o passado (nalguns casos fugindo de Berlim) e os americanos (tal como os russos), que meses antes tinham como objectivo matar o maior número possível de alemães, agora tentam ajudá-los (em especial aqueles que lhes podem ser úteis).

滿城盡帶黃金甲 - A Maldição da Flor Dourada

O que salta à vista é o excesso! As cores, as roupas, os protocolos, o luxo...

A história e os excessos neste caso passam-se na China no Século X e mostram a absoluta futilidade da monarquia (muitos excessos são comuns a qualquer monarquia), contrastando violentamente com a China comunista de hoje. Algures no meio estará a virtude.

Half Nelson - Encurralados

Half Nelson obriga-nos a reflectir sobre um impressionante número de assuntos: desde "o que raio é que andamos aqui a fazer" até à velha questão "o que é o amor?" passando por esclarecedoras lições sobre a história dos Estados Unidos da America, não esquecendo algumas ilustrações da vida em família...

Tudo isto, contando a história dum professor que não ensina pelo exemplo. Por isso não tem resposta à pergunta duma aluna: What's it like when you smoke that stuff?

El Laberinto del Fauno - O Labirinto do Fauno


Afinal não é um filme de terror ou de fantasia. É um filme sobre a brutalidade do regime de Franco.

Obedecer cegamente a quem detém a autoridade não faz sentido, pois não? Então porque é que regimes como o de Franco conseguiram sobreviver tanto tempo? Os poucos que obedeciam cegamente, faziam-no sem qualquer respeito pela vida dos que desobedeciam. Por isso, há que desobedecer!

11 março 2007

Dashboard - We Were Dead Before The Ship Even Sank - Modest Mouse

Como é que é possível que esta banda vá editar este mês o seu 7.º álbum e eu ainda não os conhecer!? Porque o novo single, Dashboard, agrada-me sobremaneira: arranjos de corda fabulosos numa canção rock sempre a abrir e um bem humorado e cínico optimismo: "The dashboard melted, but we still have the radio." (Faz todo o sentido!!)

Flags Of Our Fathers - As Bandeiras dos Nossos Pais / Letters from Iwo Jima - Cartas de Iwo Jima

Nunca consigo dizer muito sobre um filme do Clint Eastwood...

Em Flags of Our Fathers há uma cena brutal de um desembarque de tropas numa praia, sem o chocante sentido do espectáculo do Steven Spielberg mas filmada com a extraordinária sensibilidade do Clint Eastwood.
Há também o espectáculo da propaganda para angariar fundos que consegue ser tão perturbador como a própria guerra.

Em Letters from Iwo Jima, o outro lado é mostrado de tal forma que expõe totalmente a irracionalidade da guerra. E nada mais há a dizer.

Little Children - Pecados Íntimos

Apesar de já haver muitos (talvez até demasiados) filmes sobre famílias dos subúrbios americanos, é sempre engraçado ver como estas famílias reagem a uma pedra na engrenagem. O excelente trailler já dava a ideia de uma grave perturbação à normalidade...

Uma sociedade demasiado agarrada às suas regras talvez funcione melhor, mas precisa de quantidades industriais de Prozac!
"I feel bad"!

04 fevereiro 2007

Apocalypto


Engraçado... O Mel Gibson parece estar a dizer que são estúpidos (de fugir, mesmo) os rituais criados por homens em nome de um qualquer ser superior invisível que os homens não conhecem nem compreendem. Isto depois de um filme chamado "A Paixão de Cristo"!

Já agora: excelente a cena na praia!

20,13


Ver um filme na nossa língua materna é diferente... Ouvir expressões como "Raios me contrafodam..." e cantarolar o "Ele e ela". Apercebermo-nos das diferenças entre lisboetas e alentejanos e das tensões entre fascistas e gente que nem acreditava muito na necessidade da guerra colonial... E se no meio vemos uma história interessante com explosões e tudo, então um filme português é uma experiência obrigatória para qualquer português que goste de cinema.

13 janeiro 2007

Golden Skans - Myths of the Near Future - KIaxons

Golden Skans, o novo single dos Klaxons é menos caótico do que os anteriores, mas a música continua tão contagiante como o riso num funeral. O vídeo começa no preto e acaba no branco e mostra os Klaxons como criadores. Uma heresia: deus deveria criar-se à imagem dos Klaxons...
O álbum sai finalmente a 29/01/2007.

07 janeiro 2007

The Departed - Entre Inimigos


É difícil viver em permanente desconfiança, com medo que descubram os nossos verdadeiros objectivos ou que nos atraiçoem, com problemas de consciência de certas acções que fazemos e com a sensação de não podermos mudar.
Felizmente isto só acontece no mundo do crime, não é?

04 janeiro 2007

Wolf Like Me - Return to Cookie Mountain - TV on the Radio

O Y elegeu o álbum dos TV on the Radio como o melhor do ano. Depois de ouvir o single Wolf Like Me consigo perceber porquê, apesar de não conhecer nada desta banda.
Aliás, é por isso que gosto das listas de melhor do ano: há sempre alguma coisa (aliás, muita coisa!) que me escapou e assim tenho mais uma oportunidade para descobrir.

Borat: Cultural Learnings of America for Make Benefit Glorious Nation of Kazakhstan - Borat: Aprender Cultura da America Para Fazer Benefício...

A religião é sempre um popular tema de discussão. Hoje em dia talvez mais do que nunca. Basta ver uma das comédias do ano (2006), Borat: Aprender Cultura da America Para Fazer Benefício Glorioso à Nação do Cazaquistão.
O Borat brinca com preconceitos religiosos numa cena inspirada no Blair Witch Project (os preconceitos são todos estúpidos, mas os religiosos, particularmente), mostra como são ridículos os excessos de "religiosidade" (na cena dos "pentecostais" o Borat nem teve de dizer nada...) e explica porque é que os americanos odeiam os mulçumanos (nesta estou com os americanos: não há paciência para bigodes!).
A ideia que fica é que o que é realmente diferente nas religiões são os métodos de tortura... Estará o Borat assim tão longe da verdade?

20 outubro 2006

Yah - From Buraka to the World - Buraka Som Sistema

Gosto de pensar em Portugal como um lugar em que as culturas se juntam, desde da loucura que foram os Descobrimentos.
Os Buraka Som Sistema são um excelente exemplo. Clubs londrinos + kuduro + Lisboa=




Para além disso, é absolutamente impossível ouvir esta música sem mexer as ancas!

05 outubro 2006

Lady in the Water - Senhora da Água

Shyamalan já nos perguntou se acreditamos em fantasmas, super-heróis, extraterrestres e monstros. Entusiasticamente respondi que sim!
Agora pergunta-nos se acreditamos em contos de fadas.
Contos de fadas??? Não será só um bocadinho infantil demais? (A rocha que cura mas tem de ser usada pela pessoa certa, que, apesar de não saber que é a pessoa certa, assim que tiver de usar a rocha, saberá exactamente o que fazer) Não sei...
De qualquer forma aguardo ansiosamente a Bryce dirigida pelo Von Trier!

24 março 2006

Munich - Munique

Munich fez-me pensar. Será mesmo assim? A religião afinal não é importante? Será só uma questão de posse de terra?

Nós é que temos direito de estar aqui. Vocês merecem morrer por nos terem invadido.
Não! Nós é que temos o direito de estar aqui e iremos defender-nos até à morte. Se formos atacados iremos ripostar.

Faz lembrar histórias de famílias vizinhas de agricultores que discutem por causa das fronteiras dos seus terrenos, por vezes, tão violentamente que chegam ao homicídio!
Neste caso não são famílias, mas sim povos (se calhar, é aqui que entra a religião). E, talvez, não seja apenas a questão da posse, mas também a existência de opressão de um povo a outro (talvez os dois povos se sintam oprimidos). Será?

05 março 2006

Gold Lion - Show Your Bones - Yeah Yeah Yeahs

Gold Lion, o novo vídeo dos Yeah Yeah Yeahs é muito mais bem comportado do que o perturbadoramente descontrolado Y Control (Why indeed?). Tentativa de ataque ao mainstreem? Who cares! The music's fucking great!!!

Jarhead - Máquina Zero

O melhor deste filme é a música que toca quando começam a passar os créditos! Não que o filme seja assim tão mau (também não é lá muito bom). Jesus Walks é que é extraordinariamente bom! A quantidade de excelentes pormenores que o Kanye West junta nesta música é suficiente para fazer arrepiar. E se a ouvirmos enquanto o ecrã da sala de cinema escurece depois de vermos mais uma actuação brilhante do Jake Gyllenhaal, o efeito é maior! (Mais uma razão para nunca sair a meio de um filme!).

Match Point

Diálogos interessantes e inteligentes; imagens fortes, sensuais, belas; uma história cativante...
E, de repente, somos lembrados do que as pessoas são capazes. Levamos um soco no estômago totalmente desprevenidos (apesar de tudo parecer perturbadoramente credível). E, assim, Woody Allen explica-nos porque é que a vida é, normalmente, vivida ansiosamente como se se tratasse de um match point.

08 janeiro 2006

The Descent - A Descida


Este filme tem todas as razões que me fazem adorar cinema: durante 2 horas esqueço-me de mim e sinto o que de outra forma não me seria possível. Neste caso, medo! Muito medo! Os momentos de tensão que este filme proporciona são muitos e reais. Ao ponto de gritar!
Um comentário que tenho mesmo de fazer é que as gajas podem ser, às vezes, verdadeiras cabras vingativas...

Odete

O trailler diz: "O triunfo do amor sobre a morte". A sério? Depressão profunda, suicídio, alucinações... É assim que o amor triunfa? Eu, cá por mim, estou com o Alberto: esta gente está maluca!

Corpse Bride - A Noiva Cadáver

Afinal o que é o amor? Será que ouvir alguém a tocar piano será razão suficiente para começar a amar essa pessoa? E será que é suficiente para decidir passar o resto da vida com essa pessoa, até que a morte nos separe? E o que é que isto quer dizer? Deixamos de amar quando a pessoa amada morre? Ou quando nós morremos? E, afinal, o que é isto da vida? A maior parte do tempo as coisas não correm como queremos, o que torna a vida difícil e cinzenta, fazendo-nos questionar se não haverá nada melhor! E o que é que isto tem a ver com o fabuloso novo filme do Tim Burton? Sei lá!

06 dezembro 2005

Grizzly Man

Viver no meio de humanos, às vezes, não é fácil. Apetece fugir para onde não haja outras pessoas, ou só pessoas que pensam como nós. Mas, é este o mundo onde vivemos. There is no Bear world. Resta-nos adaptarmo-nos, que é das poucas coisas que os humanos sabem fazer.

dEUS - Aula Magna

Refrões para quê? dEUS prefere agarrar-nos com uma melodia magnífica, repeti-la hipnoticamente em diabólico crescendo até levar-nos a um êxtase apocalíptico. Thank you for the Roses.
É bom passar um concerto todo com um sorriso parvo na cara.

23 novembro 2005

Unconditional - The Bravery - The Bravery

Já ouço esta música há uns meses, mas, estranhamente, sempre que passa na rádio (e na Antena 3 passa diaramente, felizmente!) paro! E vou frequentemente à internet procurar o vídeo. Já ouvi tantas vezes que já comecei a tomar atenção à letra!!!
I hold the whole world accused
I've only got myself to blame
I wonder why, I never wonder why
The easiest things are so hard.

20 novembro 2005

The Constant Gardener - O Fiel Jardineiro

O que é que se passa com África? Este filme não dá respostas. Apenas mostra. A beleza de África, os contras-tes (a sequência do campo de golfe para o aeroporto fica na memória), a miséria, a corrupção, a violência...

As histórias de amor, geralmente, não fazem boa publicidade ao amor. Parecem mais histórias de doenças ou dependências que levam as pessoas a tomar decisões que, no seu estado normal não tomariam. O amor eterno parece por isso a sua pior forma.

12 novembro 2005

Believe - Push the Button - The Chemical Brothers

A música é excelente! O vídeo é muitíssimo bom. A combinação dos dois é genial!
P.S.: Vencedor do prémio Best Video nos MTV EMA Lisboa 2005

15 outubro 2005

着信アリ - Uma chamada perdida


Melodrama com fantasmas, corpos decepados ou em putrefação...
Como deve ser difícil lidar com crianças doentes (com asma por exemplo). Precisam de certeza de mais atenção, mais paciência, mais tolerância... senão, poderão tornar-se em crianças cruéis, capazes de magoar seriamente outras pessoas, mesmo depois de morrerem. E depois da morte há um céu diferente para cada um!

27 setembro 2005

Be Your Own - Children of Possibility - One Self

Felizmente a malta do hip hop gosta de experimentar e quando se juntam um dj russo, um mc americano e uma cantora sueca de ascendência brasileira, os resultados podem ser extraordinários. No caso dos One Self, os resultados são mesmo extraordinários.
O álbum chama-se, muito apropriadamente, Children of Possibity e contém Be Your Own, minimalista, experimentalista, melódico, hip hop, electrónica, pop, poesia... Tudo na dose certa. Perfeito!

12 setembro 2005

My Doorbell - Get Behind Me Satan - The White Stripes

É difícil acreditar mas é verdade! São mesmo só dois! O som que os White Stripes conseguem tirar só de dois instrumentos é fabuloso!
O novo single tem só a bateria e o piano e a voz do Jack White e, no entanto, é uma grande canção de puro rock!!! Tão puro que pode ser tocado para uma plateia só de crianças.
É claro que não é bem o rock a que estamos habituados... mas isso é uma vantagem, não é?

10 setembro 2005

De battre mon coeur s'est arrêté - De tanto bater o meu coração parou

Título interessante. O original tem um significado um bocadinho diferente da tradução em português. Uma tradução mais literal poderia ser "por causa de estar a bater, o meu coração parou", ou seja, a morte é certa, ou então, a vida é tão difícil que pode matar.
Precisamente por a vida ser tão difícil, chega a uma altura em que se tem mesmo de mudar. Mas mudar de vida não é fácil e a nova vida poderá dar mais prazer mas vai ser tão difícil como a anterior. E a vida anterior nunca desaparece totalmente! É por isso que é tão importante a música (eu acrescentaria o cinema) para podermos, de vez em quando, esquecermo-nos da vida.

09 setembro 2005

The Hitchhiker's Guide to the Galaxy - À Boleia pela Galáxia


Um daqueles filmes em que o trailler é melhor do que o próprio filme...

07 setembro 2005

Land of the Dead - Terra dos Mortos

Estaremos a fingir que vivemos, motivados apenas pelo instinto de sobrevivência, distraídos, de vez em quando, com fogo-de-artifício? Às vezes parece.

Um filme de terror feito por um mestre de filmes de terror tem características específicas. Não utiliza as normais cenas no escuro com música ambiente em que, de repente, salta um gato de qualquer esconderijo, que provoca um grande susto às personagens. Pelo contrário, atrai a nossa atenção para uma cena que não tem nada a ver e depois atira-nos com um susto! Ou então cria uma situação de susto, à qual as personagens não reagem minimamente, mas que faz com que o público salte nas cadeiras. E o filme não se fica só pelos sustos, tem uma história muito interessante que me deixou a pensar que existe de certeza uma grande diferença entre mim e os zombies... Tem de existir! Existe, não existe?
Grande George Romero! Tenho de procurar o Night of the Living Dead de 1968!

03 setembro 2005

Charlie And The Chocolate Factory - Charlie e a Fábrica de Chocolate

O Tim Burton tem uma imaginação fantástica: enviar chocolate pela televisão (se a televisão não servir para enviar chocolate qual é a utilidade?) e, como exemplo, pôr o chocolate no sítio do monólito, que, segundo Stanley Kubrick, é o elo entre os animais e a humanidade, é um pequeno (mas extraordinário) exemplo dessa fantástica imaginação!
Aguardo ansiosamente A Noiva Cadáver e tudo o que vier a seguir.

I Heart Huckabees - Os Psico-detectives

I Huckabees.
Existimos! Porquê?
Como é possível que as pessoas continuem a utilizar produtos derivados de petróleo?!? Poluem, fomentam guerras e ditaduras, são, de alguma forma, responsáveis pela situação miserável em que vivem milhões de pessoas, etc...
A vida é cheia de coincidências maradas! O que é que siginficam? É difícil acreditar que são apenas acontecimentos aleatórios!
I'm not myself today! But... How am I not myself?!? How am I not myself? How?!?

12 agosto 2005

Rebellion (Lies) - Funeral - The Arcade Fire

O que é isto? Rock? Mas com piano? E uma voz desafinada? E violinos? Repetitivo... Hipnotizante! Soa bem! Apetece cantar: Now here's the sun, it's alright! (Lies!). Que estranho! Vou ouvir outra vez! E outra vez! E outra! E quero ouvir outra vez! Mais uma vez! Mais! Mais!!!

02 agosto 2005

9 Songs - 9 Canções

O mais interessante deste filme é que o sexo explícito não choca.
A cena de sexo do Idiotas do Lars Von Trier, por exemplo, deixou-me estarrecido, mas as várias cenas de sexo explícito do 9 Canções não.
Sinais do tempo? Ou sou só eu que estou mais velho?
Ou então é porque o filme não é lá muito bom. Entre as cenas de sexo e a música (muito boa!), não sobra muito tempo para mostrar o que quer que seja, até porque o filme só tem 69 minutos.